sábado, 17 de maio de 2014

A VIRGEM DO SOL -GUIA MISSIONÁRIA DAS MAYAS

Por Adjunto Tarjor
Mestre Nivaldo Ribeiro
Nunca podemos esquecer que vivemos a Lei da Causa e Efeito! Num passado distante existia um reinado onde o Rei colocou como Lei a Pena de Morte daquele(a) que fosse pego praticando “atos considerados de prevaricação.” Nasceu então uma filha desse Rei: essa menina, ainda muito, pequena passou a ter como companhia o também pequeno filho de uma escrava que foi trabalhar no castelo. Juntos, praticamente como irmãos, cresceram a filha do Rei e o filho da escrava. Quase adultos, mais ou menos 19 anos, o jovem filho da escrava recebe de um capataz a informação que em um riacho próximo dali existia ouro reluzindo à flor da terra. O filho da escrava leva a informação à filha do Rei e juntos vão averiguar o fato. Quando os dois estão à beira do riacho, vasculhando as margens em busca do ouro, são vistos por um soldado que imediatamente leva a informação ao Rei, acusando-os do descumprimento da Lei! O Rei então determina o cumprimento da Lei e o filho da escrava é arrastado por um cavalo pelas ruas até sua morte. Determina também que seja feito um poço com 30 metros de profundidade, onde jogou, de cabeça para baixo, sua filha. O sofrimento da jovem é grande e por dias ouve-se os gritos dela dentro daquele poço!
Essa jovem era na realidade um espirito com uma condição já muito evoluída, mas que tinha, tão somente, um débito transcendental ou cármico, exatamente com o espirito daquele jovem filho da escrava. Ao desencarnar o espirito da jovem filha do Rei, pelo seu grau evolutivo vai diretamente para as Legiões já na condição da Guia Missionária que tão bem conhecemos hoje! Também pelo seu grau evolutivo o ectoplasma desprendido, emitido nos gritos aflitos da jovem, impregnaram aquele poço fazendo do mesmo um ponto de força curadora. Vinham pessoas de muito longe fazer os seus pedidos naquele poço e eram curadas!
Tia Neiva dizia que enormes quantidades de muletas foram se aglomerando, durante os anos, próximo daquele poço! O lugar ficou conhecido como o Poço da Virgem do Sol. Quando Pai Seta Branca, atendendo a determinação de JESUS, se dirige às Legiões para organização do grande acervo que viria a ser a nossa doutrina, essa Guia Missionária se apresenta para movimentar os seus poderes em favor desse Sistema Iniciático! Um dia Tia Neiva disse: “Meus filhos nós precisamos fazer o Poço da Virgem do Sol!” Alguns até se movimentaram para faze um poço mesmo, mas logo foram esclarecidos por Tia Neiva que o poço da Virgem do Sol, tratava-se do trabalho de Estrela de Nehrú ou Estrela Sublimação!
Poço da Virgem do Sol, Estrela de Nehrú ou Estrela Sublimação é tudo uma coisa só. Esse trabalho é a primeira raiz de força do Turigano!!! Essa estrela começou a ser construída próxima a Estrela Candente e finalmente foi construída próximo da entrada do Tempo Mãe. Nehrú nos planos espirituais significa seca ou melhor, Estrela Seca, pois a mesma não tem água. Mas Tia Neiva tinha medo de que as pessoas pensassem que era seca de energias e por isso preferia chama-la de Estrela Sublimação, ou seja, estrela onde se movimentam forças sublimes! Os poderes do Orácuo de Olurum, do Oráculo de Obatalá e do Oráculo de Simiromba são base para a movimentação das forças da poderosa Guia Missionária Virgem do Sol, primeira Missionária Maya nas Legiões! Dizem também que a Guia Missionária Virgem do Sol é a Alma Gêmea do Cavaleiro da Lança Reino Central.
Por isso a importância da participação das Ninfas da Falange Missionária Maya na corte que se movimenta naquele ritual. Mas como já dito a Estrela Sublimação é a primeira raiz de força do Turigano. Por isso não pode existir Estrela Sublmação 
sem
 que haja o Turigano. É muito importante que as missionárias Maya façam o Canto no Turigano representando essa bendita Falange. A Policena do Turigano, também é representada por uma Ninfa Maya Lua! A Rainha Exiliada do Turigano também é representada por uma Ninfa Maya Lua. É muito importante que as Missionárias Mayas se dediquem para o perfeito funcionamento do Turigano, do que também depende o perfeito funcionamento da Estrela Sublimação e vice-versa.

Essa história foi contada pelo Adjunto Yumatã Mestre Caldeira. Existem outras versões diferentes dessa história, citações e particularidades sobre a poderosa Guia Missionária Virgem do Sol e sua falange, lembrando que a origem da Falange de Mayas não tem nada a ver com a origem da Falange Príncipes Mayas.

domingo, 30 de março de 2014

MADEIRAS DO ORIENTE

ANODAI é a força da Lua, diluída no perfume que impregna os chakras da vida e da morte, ativando-os e 
fazendo com que a percepção e a sensibilidade do médium sejam ampliadas, promovendo a força centrífuga. Molhando os polegares no perfume, o médium fricciona suavemente seus chakras da vida e da morte, localizados entre os olhos e orelhas, mais conhecidos como "têmporas", depois abre o plexo e emite:

"ÓH SIMIROMBA MEU PAI! ME CONSAGRE E ME IONIZE DE TODO E QUALQUER MAL"

Com o uso por parte dos médiuns do ANODAY (SAL) e do ANODAI (PERFUME)forma-se o

cruzamento das forças do Sol e da Lua chamado ANODAÊ, processo de mediunização necessário aos médiuns para os trabalhos e sandays da Doutrina do Amanhecer. Após fazer sua preparação na Pira o médium deve ir até o Castelo do Silêncio e se ANODIZAR, promovendo o ANODAÊ junto às chaves do Sal e do Perfume, para depois de sua concentração estar apto à qualquer trabalho que se faça necessário. A chave do perfume supra negritada é a busca também da proteção de nossos trabalhos no sentido de evitar ou minimizar a força de impacto de nossas tristes vibrações para com nossos próprios irmãos de jornada que por vezes faz parte de nossas vidas, em aprendizado constante...


Tia Neiva em sua vida mediúnica no Vale do Amanhecer sempre esteve desde o início cercada por fragrâncias de Eucaliptos que circundavam a área do Templo-mãe, Rosas que eram suas flores preferidas e de um perfume antigo chamado "Maderas do Oriente", o qual ficou característico pelo uso nos Templos e seus Rituais.

INFORMAÇÃO IMPORTANTE


"O ENCONTRO COM OS FAMILIARES DESENCARNADOS"


"Para que se entenda, uma das maiores dores, pelas quais passa um ser humano, é a perda de um parente ou de um ente querido.
É um dos momentos em que se sente a necessidade de buscar o lado espiritual da vida, ansiando por um “contato”, uma comunicação que possa tranquilizar os familiares e aplacar um pouco a grande saudade que se sente com a perda.
Em nossos atendimentos nos Templos do Amanhecer, diariamente encontramos pacientes angustiados por um contato. Mesmo médiuns, com anos de casa, ao depararem-se com a situação, ficam ansiosos, esperando uma resposta e por vezes questionando a Espiritualidade.
Por este motivo venho esclarecer sobre assunto.
Meus irmãos e irmãs, Salve Deus! Para que se possa obter uma comunicação com um familiar, existem fatores que devem ser considerados e inevitavelmente pesados na balança, antes de qualquer revolta:
As condições espirituais da pessoa desencarnada;
O merecimento dos envolvidos;
A afinidade do médium que realizará a comunicação, e,
Fundamentalmente a utilidade desta comunicação, pois tudo que provêm da Luz deve ser útil!
Abordemos separadamente cada um destes quesitos:
Um espírito ao desencarnar passa por um período de adaptação.
Um novo “corpo”, uma nova realidade. É outra vida! Existe uma consciência transcendental a ser despertada, as lembranças de outras vidas, de outros familiares... O nível de apego do ser, que deixou na vida física, é que vai determinar o tempo que durará este período de adaptação. Por isso, muitas vezes a comunicação torna-se prejudicial, pois faz com que o espírito reforce sentimentos e consequentes apegos, retardando seu processo de adaptação à realidade espiritual que agora vive. Existem aqueles que libertam-se das “amarras” físicas e emocionais rapidamente, mas é um processo que pode durar de horas a anos e anos.
Uma comunicação é uma dádiva dos céus! Por isto existe o fator “merecimento” envolvido. O merecimento tem que ser de ambas as partes. Do espírito, já liberado de seus apegos e verdadeiramente encaminhado no plano espiritual; e da pessoa que solicita esta comunicação... Quais as intensões? Existe pureza no pedido? A pessoa que pede a comunicação terá o merecimento de movimentar toda uma estrutura de proteção espiritual para trazer um espírito recém-desencarnado às condições necessárias de uma comunicação presencial? Quantos bônus (dos dois) serão necessários para tanto?...
Existe ainda a questão do preparo do médium. Não é fácil ter uma sintonia tão grande com um espírito que ainda não possui preparação para incorporar. O médium tem que ser muito puro ou muito experiente, para que, ao receber perguntas que somente aquele espírito pudesse responder, não turvar a sua mente com seus próprios pensamentos e acabar no descrédito. O médium precisa ter uma grande afinidade com o espírito para conseguir passar uma comunicação precisa.
Finalmente entra a questão da “utilidade”. Será que a comunicação será útil? Irá fazer com que a pessoa desperte para uma realidade espiritual, ou somente trará mais dúvidas? E o fator vaidade, não estará envolvido também? É preciso que uma movimentação espiritual desta grandeza possa ter uma aplicação útil e beneficie a ambos os lados. Lembremos sempre: Se é da Luz, é útil! Nada proveniente da Luz é inútil!
Por estes fatores é que, na maioria das vezes, ao pedir a comunicação com um parente, ou ser amado, nossos Mentores “dão notícias”. Contam como está a situação do espírito, mas muito raramente permitem a presença. Mesmo porque, em nossos Tronos, somente uma Entidade de Luz pode manifestar-se verbalmente. Em alguns Angicais acontecem excepcionalmente estas comunicações, mas sempre respeitando: condição, merecimento, afinidade e utilidade."
Salve Deus.

quarta-feira, 19 de março de 2014

BOM LEMBRAR!

 PRECES


Em três momentos do dia - 12, 15 e 20 horas - , onde quer que estejamos, entramos em sintonia com as forças que emanam do Oráculo de Simiromba, através da Amacê da Estrela Candente. . São as Horas do Jaguar, nas quais trabalhamos para nós mesmos, emitindo a chave: “O SENHOR TEM O SEU TEMPLO EM MEU ÍNTIMO! NENHUM PODER É DEMASIADO AO PODER DINÂMICO DO MEU ESPÍRITO. O AMOR E A CHAMA BRANCA DA VIDA RESIDEM EM MIM! SALVE DEUS!”. Pode ser seguida pela Prece de Simiromba, com grande efeito benéfico para nós mesmos ou para quem mentalizarmos, pois, nesse momento, se deslocam as forças do Mundo Encantado dos Himalaias, junto com as de Olorum e Obatalá.
A contagem, a hierarquia, a classificação dos mestres faz-se em função de sua capacidade na manipulação dos Raios dos Oráculos e das forças cabalísticas. Não temos, na Espiritualidade, qualquer posição por prestígio ou favor. Tudo nos é concedido na Lei Divina, que dá a cada um de acordo com o seu merecimento. E esse merecimento é medido pelo amor, pela dedicação do médium, por sua humildade e por sua tolerância, dentro da perfeita conduta doutrinária, à caridade, trabalhando com sua consciência e conhecimento das Leis deste Amanhecer.
Salve Deus!

CABOCLOS NOS TRONOS E NA LINHA DE PASSE

SALVE DEUS !

A “Vovozinha” atendia com sua voz tranquila ao paciente que vinha pela primeira vez. Em determinado momento dá passagem para um sofredor. A doutrina é realizada com precisão e o irmãozinho encaminhado, mas...
- AAAAIIIIIIIIIIIIOOOOOOOOOOOOOOOOOOOUUUUUUUUUUUU!!!
O Caboclo incorpora com um grande grito e literalmente esmurra o peito do Apará com tamanha violência que o paciente quase cai dos Tronos e dá um grito junto!
Vocês já imaginaram o trauma deste paciente? Será que ele vai acreditar que era uma Entidade de Luz que veio dar um passe?
Salve Deus! Meus irmãos e minhas irmãs! Um Preto Velho e mais ainda, uma Preta Velha, é ternura! Vem com “jeitinho”, falar brejeiro, com carinho vai conscientizando o paciente dos problemas espirituais que enfrenta... Fala de Deus, está sempre saudando “Louvado seja Nosso Senhor Jesus Cristo”. O paciente de primeira vez vai ficar chocado! Às vezes tudo que o Preto Velho conseguiu quebrar (preconceitos, medos, etc) vai por água abaixo. Não foi isso que aprendemos!
O Apará tem controle da incorporação, pois é um médium consciente, isso é um ponto pacífico. Devemos esclarecer no Desenvolvimento que realmente a energia da incorporação do Caboclo é intensa. Que na maioria das vezes sente-se o ímpeto de gritar e liberar com toda força as três pancadas no peito, mas... aprendemos que nossa Doutrina prima pela elegância! Não tem gritaria de Caboclo, quem grita é o índio vivo na Sessão Branca! Lá o índio vem para falar, para gritar, para emitir seu magnético animal puro e levar a energia Iniciática que emitimos neste intercâmbio. É um índio vivo, sem a consciência de uma Entidade de Luz!
O Caboclo é uma roupagem de uma Entidade de Luz, e, portanto jamais viria para chocar um paciente, vem ajudar e não atrapalhar o trabalho de um Preto Velho. A intensidade da energia propõe, no subconsciente do Apará, a vontade de gritar para liberar esta forte projeção. Mas não é o Caboclo que grita, é o Apará! Todos nós sabemos que se você, Apará, “resolver” que não vai abrir a boca depois de incorporado, não sai nada! O Preto Velho não vai agarrar sua mandíbula e forçar que se mova. A mesma coisa é o Caboclo! O controle existe e é seu!
Existe sim a vontade, provocada pela energia que deseja se expandir, mas a Entidade respeita o paciente, suas possíveis crenças, medos e preconceitos...
Gritar não é um sinal de “força” da Entidade e tão pouco é um sinal de desequilíbrio (atenção Doutrinadores), é uma falha no desenvolvimento, que deveria ser alertada no tempo correto.
Algumas vezes os “branquinhos” observam um médium mais antigo gritando e consideram isso como o “correto”, por isso devem ser alertados sempre sobre o quê é certo e o quê são “vícios de incorporação” . Cabe aos comandantes dos grupos de desenvolvimento, alertar para tal facto.
Isto não é uma crítica, apenas um alerta!